O Silêncio da Semente

5.ª Domingo Quaresma (Ano B)
Jo 12, 20-33

P. Luís Marinho | Corpo Nacional de Escutas

Desafio-te:

Responde num papel para guardar... Em que queres gastar a tua vida?

Descarrega: PDF | Video

Partilha:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, alguns gregos que tinham vindo a Jerusalém para adorar nos dias da festa, foram ter com Filipe, de Betsaida da Galileia, e fizeram-lhe este pedido: «Senhor, nós queríamos ver Jesus». Filipe foi dizê-lo a André; e então André e Filipe foram dizê-lo a Jesus. Jesus respondeu-lhes: «Chegou a hora em que o Filho do homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica só; mas se morrer, dará muito fruto. Quem ama a sua vida, perdê-la-á, e quem despreza a sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém Me quiser servir, que Me siga, e onde Eu estiver, ali estará também o meu servo. E se alguém Me servir, meu Pai o honrará. Agora a minha alma está perturbada. E que hei-de dizer? Pai, salva-Me desta hora? Mas por causa disto é que Eu cheguei a esta hora. Pai, glorifica o teu nome». Veio então do Céu uma voz que dizia: «Já O glorifiquei e tornarei a glorificá-l'O». A multidão que estava presente e ouvira dizia ter sido um trovão. Outros afirmavam: «Foi um Anjo que Lhe falou». Disse Jesus: «Não foi por minha causa que esta voz se fez ouvir; foi por vossa causa. Chegou a hora em que este mundo vai ser julgado. Chegou a hora em que vai ser expulso o príncipe deste mundo. E quando Eu for elevado da terra, atrairei todos a Mim». Falava deste modo, para indicar de que morte ia morrer.
Palavra da salvação.

(Jo 12, 20-33)

"Nós queríamos ver Jesus." é o pedido de uns certos gregos que se aproximam de Filipe, um dos discípulos de Jesus, e lhe dizem tão simplesmente: "Nós queríamos ver Jesus.". Eis o começo do Evangelho deste quinto domingo da Quaresma.

Mas é interessante que a resposta de Jesus não é: "Trazei-os até mim. Eles que apareçam.". Jesus propõe uma viagem e a viagem é de contemplar a imagem do grão de trigo lançado à terra: se ele não morrer, fica só; se ele morrer, dará muito fruto. Bem vemos nós, que estamos quase às portas da celebração da Páscoa, estamos no quinto domingo de Quaresma, como Jesus, como que dá sentido à sua vida e à sua morte, oferecendo-nos esta imagem tão simples de compreender: o grão de trigo. E assim, Jesus convida-nos a entrar, com o grão de trigo, com Ele, no silêncio. O silêncio da terra, o silêncio da semente que na terra morre e donde começa a nascer fruto, fruto abundante.

Onde podemos nós, então afinal, ver Jesus? Nas manifestações milagrosas… Nos sinais espetaculares... E no silêncio, nas coisas que não fazem barulho, nas coisas que não são espetaculares, mas que tomam a vida como o grão de trigo que morre.

No fundo, Jesus ao propor-nos esta viagem está a convidar-nos a todos a pensarmos bem para que serve a nossa vida. Para dar fruto, mas para dar fruto há de passar pela oferta, pela entrega, pela entrega até ao fim, porque o fruto só nasce de uma vida oferecida e entregue.

Assim, com Jesus nós entramos no silêncio, na discrição que perturba. O próprio Jesus no-lo diz: "Agora a minha alma está perturbada.". Mas ao mesmo tempo nos interpela: "Queres vir comigo? Queres viver para dar a vida? Ou queres guardar a vida só para ti?".

Eis, portanto, o desafio, a proposta para esta semana. Toma um papel, um pequeno papel para tu guardares e talvez seja bom começares a escrever… Em que é que eu quero gastar a minha vida? Como quero eu experimentar, como grão de trigo, como Jesus, que para dar fruto é preciso gastar-me, entregar-me, oferecer-me até ao fim?

P. Luís Marinho

Newsletter

Subscreve já a nossa newsletter e recebe em primeira mão cada novo episódio.