Jesus, o Provocador

20.º Domingo Tempo Comum (Ano B)
Jo 6, 51-58

P. Abel Ferreira | Paróquia de Monte Abraão

Desafio-te:

Procura um lugar, uma igreja onde haja adoração Eucarística. Conversa com Jesus! Pede ajuda nas decisões que tens de tomar.

Descarrega: PDF | Video

Partilha:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é minha carne, que Eu darei pela vida do mundo». Os judeus discutiam entre si: «Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?». E Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou e Eu vivo pelo Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: quem comer deste pão viverá eternamente».
Palavra da salvação.

(Jo 6, 51-58)

Este é o terceiro domingo em que Jesus fala sobre o pão da vida. Mas, agora e só agora, é que Jesus fala do sacramento da Eucaristia. O que é a Eucaristia? “Ah! É a missa. É o Corpo do Senhor.”. Sim, é verdade, é tudo isso. Mas, afinal, que palavras é que Jesus usa para descrever, para definir o que é a Eucaristia? Jesus é o pão do céu... Está bem. É o Evangelho... Sim, é verdade. É a sabedoria de Deus... Sim, também. Mas não é só isso! É, verdadeiramente, o Corpo de Deus.

Jesus vai assumindo cada vez assim uma maior provocação para com os judeus e diz: ”É preciso comer a minha carne.”. Estás a imaginar? Vamos trincar os músculos de Jesus. Não, não é isso. Comer a carne significa abraçar a pessoa toda. Jesus ainda vai mais longe e provoca e diz: ”É preciso beber o sangue.”. Repara que no tempo de Jesus era proibido, absolutamente proibido, tocar no sangue... Quanto mais beber o sangue... Então Jesus, o que quer dizer? Quer provocar os judeus? Não! Quer fazer uma outra coisa. Quer dizer que só quando nós comungamos o Seu Corpo, quer-nos dizer que só quando nós assumimos toda a Sua vida em nós, então aí é que somos verdadeiramente cristãos.

Comungar não é, mais ou menos assim, como um rito mágico que: “Ora, vamos lá, comungamos e pronto! A nossa vida agora, de repente, está completamente diferente, completamente mudada.”. Não! Se tu não acreditares, se tu depois não transformares em vida, em gestos, aquilo que tu foste fazer, aquilo que foste comungar, claro que aquilo não serve de nada. Jesus não é um mágico. A comunhão não é uma magia, não é um gesto mágico. Agora, tu acreditas que realmente quando comungas e levas isso tudo para a tua vida, podes realmente mudar?

Na tradição da Igreja aparece um outro gesto que é a adoração eucarística: conversar com Jesus. Para as pessoas que não podem comungar esta é a forma de contacto, de comunhão espiritual com Jesus.

Tu, na tua vida hoje, quando tens que tomar uma decisão importante, fazes uma adoração eucarística? Rezas diante de Jesus? Acreditas que Ele pode-te inspirar e ajudar-te a decidir? Faz esta experiência. Ao longo desta semana procura um lugar, uma igreja onde haja adoração eucarística e conversa com Jesus. Pede-lhe ajuda nas decisões que tens que tomar.

Boa semana.

P. Abel Ferreira

Newsletter

Subscreve já a nossa newsletter e recebe em primeira mão cada novo episódio.