Domingo da Santíssima Trindade

Domingo da Santíssima Trindade (Ano A)
Jo 3, 16-18

P. Ricardo Neves | Paróquia do Estoril

Desafio-te:

Desafio-te a rezares, em cada dia desta semana a cada uma das pessoas da Santíssima Trindade!

Descarrega: Sem PDF | Sem video

Partilha:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n'Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n'Ele não é condenado, mas quem não acredita n'Ele já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus».
Palavra da salvação.

(Jo 3, 16-18)

Celebramos o Domingo da Santíssima Trindade. É um Domingo especial. Depois do Tempo Pascal somos convidados a uma contemplação sobre esse mistério insondável, inimaginável, indizível de Deus, que é Pai, que é Filho e que é Espírito Santo.

E o que nos diz o Evangelho de hoje? O Evangelho diz-nos três coisas principais. Diz-nos em primeiro lugar, que dentro de Deus, dessa Trindade extraordinária e inimaginável, gravita um amor que os aproxima, mas mais do que os aproxima, os torna pertença mutua, sintonia plena, que os torna uns dos outros, de tal maneira que o Pai é Pai por causa do Filho, o Filho é Filho por causa do Pai e o Espírito nasce da confluência amorosa do Pai e do Filho. Portanto, os três gravitam neste amor permanente, que os torna um só, sem nunca os desconfigurar e os desfigurar.

A segunda coisa principal que o Evangelho da Santíssima Trindade nos diz é que esta Trindade tem um sonho, um sonho vivo, um sonho eterno, um sonho para implementar. E esse sonho é o do amor pela humanidade. O Pai, o Filho e o Espírito Santo pulsam de amor entre eles, mas pulsam de amor pela humanidade inteira. Querem não só amar a humanidade, como querem também fazer sentir à humanidade que é profundamente amada por Deus. E não é apenas à humanidade em geral, é a cada homem, a cada pessoa humana, a toda a pessoa humana. Esse é o sonho de Deus: fazer, imprimir, injetar, pôr dentro, pôr realmente dentro o amor eterno de Deus por todos os homens.

E a terceira sugestão que o Evangelho nos dá, é que Deus levou à prática este sonho e a maneira de o tornar prático, humano, real, visível, atuante foi enviar o Seu próprio Filho. A segunda pessoa da Santíssima Trindade, o Filho, obediente ao Pai, desejoso de agradar ao Pai, desejoso de tornar carne viva, tornar experiência, tornar realidade aquele tal sonho eterno do Pai, do Filho e do Espírito Santo encarnou no seio de uma Virgem para de uma forma humana, em linguagem humana, em experiência humana, no meio da vida humana, fazer experimentar que Deus é um indefetível do homem, que Deus está do lado do homem, que Deus quer a eternidade para o homem, que Deus tem o amor sem limites, tornado misericórdia, sem qualquer tipo de justificação, acessível e disponível para toda a humanidade.

Por fim, Deus pede o regresso do homem. O Pai, o Filho e o Espírito Santo, esta Trindade Santíssima, este amor eterno, este sonho de Deus revelado em nosso Senhor Jesus Cristo é a casa de regresso para todo o homem, para nós, para ti, para os teus amigos, para todos sem distinção.

P. Ricardo Neves

Newsletter

Subscreve já a nossa newsletter e recebe em primeira mão cada novo episódio.