Acorda P'ra Vida

13.º Domingo Tempo Comum (Ano B)
Mc 5, 21-24.35b-43

P. Abel Ferreira | Paróquia de Monte Abraão

Desafio-te:

Vai ter com um amigo que esteja numa situação difícil, e fala-lhe neste Evangelho.

Descarrega: PDF | Video

Partilha:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, depois de Jesus ter atravessado de barco para a outra margem do lago, reuniu-se uma grande multidão à sua volta, e Ele deteve-Se à beira-mar. Chegou então um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Ao ver Jesus, caiu a seus pés e suplicou-Lhe com insistência: «A minha filha está a morrer. Vem impor-lhe as mãos, para que se salve e viva». Jesus foi com ele, seguido por grande multidão, que O apertava de todos os lados. Entretanto, vieram dizer da casa do chefe da sinagoga: «A tua filha morreu. Porque estás ainda a importunar o Mestre?». Mas Jesus, ouvindo estas palavras, disse ao chefe da sinagoga: «Não temas; basta que tenhas fé». E não deixou que ninguém O acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. Quando chegaram a casa do chefe da sinagoga, Jesus encontrou grande alvoroço, com gente que chorava e gritava. Ao entrar, perguntou-lhes: «Porquê todo este alarido e tantas lamentações? A menina não morreu; está a dormir». Mas riram-se d'Ele. Jesus, depois de os ter mandado sair a todos, levando consigo apenas o pai da menina e os que vinham com Ele, entrou no local onde jazia a menina, pegou-lhe na mão e disse: «Talita Kum», que significa: «Menina, Eu te ordeno: Levanta-te». Ela ergueu-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. Ficaram todos muito maravilhados. Jesus recomendou insistemente que ninguém soubesse do caso e mandou dar de comer à menina.
Palavra da salvação.

(Mc 5, 21-24.35b-43)

O Evangelho de hoje trata-nos de um tema, se calhar, um bocadinho difícil: a morte. Provavelmente ainda não te deparaste, porque és mais novo, com esta situação. Ouves falar, mas, enfim, se calhar são sempre situações longe.

Ora, Jesus hoje conta-nos como restituiu a vida numa situação: uma rapariga nova, 12 anos, que estava a morrer. Ela era filha do chefe da sinagoga e estava doente e, entretanto, o pai foi pedir, naturalmente, ajuda para a sua filha, para que Jesus lhe desse a vida. E a primeira palavra que Jesus apela é a fé. E diz-lhe: “Não temas. Continua a ter fé.”. Entretanto, passam-se algumas coisas... Chega a notícia que, afinal de contas, a rapariga já tinha morrido... Já não valia a pena... Enfim, Jesus já não podia fazer, parece que, nada. Mas Jesus volta a apelar: “Ó homem, não temas! Continua a ter fé!”. Repara nisto: o medo é o oposto da coragem. Quer dizer, alguém que tem medo é porque não confia e Jesus apela a uma fé que é, sobretudo, confiança. Mais ou menos como a relação que uma criança tem com a sua mãe. Uma criança confia e, quando está ao colo da sua mãe, descansa. É um bocadinho isto que Jesus apela a este homem: para ele ter confiança.

O que é que se segue? Há um grande alvoroço. Jesus vai para casa deste homem… Estava longe... Pelo caminho ainda tem tempo de fazer um milagre, de responder a uma situação que parecia ainda mais difícil… E Jesus quando chega toda a gente se ri d'Ele quando Ele diz: ”A menina não morreu, está a dormir.”. Reparem, era humanamente compreensível para aqueles que ali estavam. Mas, e o que é que Jesus faz? Jesus manda sair toda a gente. Deixa apenas lá o pai e a mãe. E encontra aquela menina. Faz um gesto. Dá-lhe a mão.

Repara nisto, quando tu estás prostrado, deitado no chão, quando tu estendes a mão a alguém e ajudas essa pessoa a levantar, é a tua força que ali está, mas é depois também a força daquela pessoa que faz ela caminhar como aconteceu com esta rapariga. Jesus, além deste dar a mão, tem também uma palavra: “Talita Kum”. É uma palavra hebraica dita na língua original que aquela rapariga compreendia, ou seja, este gesto é acompanhado por uma palavra.

Hoje, será que tu és capaz de falar deste Evangelho a alguém? Alguém que tu sabes que se encontra numa situação difícil... Pode não ser uma morte física, mas um problema muito sério. Se calhar é a tua vez de ires ter com essa pessoa e fazer isto mesmo: levanta-te, com uma palavra, com este gesto.

Boa semana!

P. Abel Ferreira

Newsletter

Subscreve já a nossa newsletter e recebe em primeira mão cada novo episódio.